Nobel ba Paz Ramos Horta koalia konaba dezafius Timor-Leste ba estudante timoroan sira iha Oxford Free West Papua Campaign Turns to Social Media for Global Support A Austrália não deve roubar o futuro a Timor-Leste HAU NIA MEHI Ensaiu Kona Ba Muzika Iha Timor FUTURU - Forum Economico Global CPLP Kerry Galhos - Next serena williams iha tennis world! Music - Premiere: Felix Riebl Crocodiles ATAURO small island – big heart Amo esta sensação crua, inocente... Hapara violencia kontra feto no labarik feto sira Hanoin rai horis no moris fatin Timor Leste Timor Leste uma seleção que abusou do samba para vencer
Quando a saudade toca, O coracao sente, A mente Obriga, E a vontade realiza.... A satisfacao de me sentir mais perto da terra que me viu nascer....

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A LENDA DO CROCODILO


"A Lenda do Crocodilo" - conto e lenda de TIMOR
[A LENDA DO CROCODILO]
(conto e lenda de TIMOR)

Em Massacar, na ilha dos celebes, vivia um crocodilo. Isto passou-se muito antes dos tempos que já lá vão. Velho, sem velocidade para os peixes da ribeira, não teve outro recurso senão por pé no seco e aventurar-se terras adentro a ver se topava cão ou porco que lhe matasse a fome.

Andou, andou e nada topou.

Resolveu regressar, mas o caminho era longo e o sol ardia. Abrasado, sentiu o crocodilo que as forças iam faltar-lhe e que, mais passo menos passo, ficaria ali como uma pedra.

Mas o acaso fez que lhe passasse mesmo à mão e a tempo um rapaz. Este, condoído, ajudou-o a arrastar-se até à ribeira. O crocodilo ficou-lhe gratíssimo, oferecendo-se para, a partir daquele dia, o levar às costas pelas águas dos rios e do mar.

Certa vez, apertada pela fome e sem cão ou porco que a matasse, dicidiu-se a comer o rapaz. Antes, porém, para alívio da consciência, consultou os outros animais sobre se devia ou não comê-lo. Desde a baleia ao macaco todos ralharam muito com ele acusando-o de ser ingrato.

Inclinado-se perante a opinião geral e no receio de que a sua presença passasse, de futuro, a ser mal tolerada, o crocodilo dispôs-se a partir mar fora e a levar consigo o dedicado rapaz por quem, vencida a tentação, sentia amizade quase paternal.

Foi nesta disposição que convidou o rapaz a pular-lhe para as costas.

Fazendo-se, então, ao mar, nadou, onda após onda, em demanda das terras onde nasce o sol, convencido de que lá havia de encontrar um disco de oiro semelhante ao outro que o norteava. Porém, quando, já cansado de nadar, pensou em dar meia volta e regressar às terras de origem, sentiu que o corpo se lhe imobiliza e se transformava rapidamente em pedra e terra, crescendo, crescendo, até atingir as dimensões de uma ilha.

Caminhou então o rapaz sobre o dorso desta ilha, rodeou-a com o olhar e chamou-a de Timor que, em língua malaia, quer dizer oriente.

Timor Leste: o homem e o crocodilo
(By Father Jose Cancio da Costa Gomes, SDB)

Sem comentários:

Enviar um comentário