BEM VINDO E OBRIGADO PELA VISITA!

sábado, 23 de agosto de 2014

A Educacao não tem lingua predefinida

Bom dia alin, Diak ka lae?
Utilizando a linguagem escrita, uma das varias formas de comunicação dentro de uma sociedade e uma das formas que se utiliza quando se comunica através desta rede de universo de informação e social a que se chama a Rede Internet decidi hoje salientar um assunto que de facto nunca havia despertado a minha atenção mas que devido a acontecimentos recentes não pude ignorar.

O que é a Educação?
Quais os principos de Educação? 
De onde vem a Educação?
Qual a linguagem que se utiliza na Educação?

Na minha inocente perspectiva, a educação é de antemão dada naturalmente no seio da família cabe aos pais educar os seus filhos os principio básicos da educação , sendo estes, ensinar a conhecer, ensinar a fazer, ensinar a viver com os outros, ensinar a ser e ensinar a estar. Estes definirão a sua personalidade na sociedade como um Motor Primo na vida humana. E este processo é dado à criança numa linguagem comum, numa linguagem que se fala mais em casa, sendo esta a Linguagem verbal - Materna ou ate mesmo nao verbal - Gestual.

A família é bastante valorizada, cabe à mesma o papel de compartilhar valores e significados na formação da  criança. O mundo desperta assim sob a importância da educação infantil. Quando que antigamente esse ensino era tido como sendo de menor importância, hoje, temos mais consciência de que a estimulação das crianças contribui e muito para a sua aprendizagem. Desenvolvendo as suas capacidades afectivas, motoras para a intregracao e interacção social.

Os métodos não têm carácter obrigatório e servem de orientação publico-particular, estes acompanham o desenvolvimento e crescimento da criança dentro da sociedade civil, tendo como ponto de partida a família, posteriormente a religião e por fim chegar ao ensino fundamental, intelectual e académico.
 
A Educação não tem língua predefinida,

Existem varias formas de educação, a educação não tem pais, ela não é mais do que uma cultura na sociedade, um direito fundamental de conhecimento e convivência humana e social, cultural e politica independentemente da região geográfica em que nos situamos. 

O acontecimento recente referido no inicio para mim foi surreal e desnecessário, mas aqui fica a historia:

2 indivíduos da mesma espécie biológica em que os pais são Timorenses

Individuo 1: Adulto, Natural de Timor, Cresceu em Timor e/ou Indonésia (com alguma compreensão do Português).
Individuo 2 e 3: Crianças, Naturais de Portugal, Cresceram em Portugal e Inglaterra (com alguma compreensão do tetun -língua também falada em casa).

Individuo 1 vai a casa do individuo 2, este abre a porta e o individuo 1 num tom irritado olha para ele não diz nada mais do que "Que Horas são???", depois vira as costas e vai se embora, deixando a criança (individuo 2) atrapalhada sem saber o que fazer porque aparentemente já estava na hora. Como se o individuo 2 e 3 e os que la vivem fossem pessoas estranhas desconhecidas e sem valor.

A mãe do individuo 2 olha para a criança ouve o episódio e como é óbvio ficou transtornada resultado foi atrás do individuo 1 chamou o companheiro do mesmo e disse, "Vê la se das mais educação ao individuo 1 pois foi agora bater a porta de casa e em vez de falar como deve ser utilizou um tom não simpático e irritado, não teve consideração com o individuo 2 (por ser criança) nem com as pessoas que la vivem." depois a justificação destes é "Hau la hatene koalia Português, hau hatene deit koalia Tetun e Bahasa Indonesia", "Eu não sei falar Português, sei apenas falar Tetun e Bahasa Indonesia"

O que estava a espera deste mesmo individuo era, pelo menos "Bom dia", "Boa tarde" ou "Boa noite" e se tinha algum problema pedia a criança para chamar a mãe para falar, mesmo que não soubesse utilizar como deve ser a sentença completa em Portugues, como "Bom dia individuo2 podes chamar a mãe se faz favor?" poderia ter dito simplesmente, "Bom dia individuo 2, mãe?"... seria tudo muito mais fácil...

A forma como a transmitimos e comunicamos pode ser desde oral, escrita,  gestual e mista, por isso justificar uma atitude menos apropriada com o argumento "Eu não sei falar Português, apenas falo Tetun e Indonésio" não é de todo uma justificação plausível ate porque a própria língua Tetun adoptada pela maior parte do povo timorense é a chamada "Tetun Praça" que inclui a língua Portuguesa e a língua Indonésia resultado da colonializacao Portuguesa e Ocupação da da Indonésia.

Por exemplo  em Tetun: "Hau sidauk aprende koalia Português" traduzindo para português "Eu ainda não aprendi a falar Português", outro exemplo de vocabulário utilizado em Tetun Praça em vez do tetun em si "Loron Diak" utiliza-se mais o "Bom dia", por ultimo entre outros, "Tuku hira?" "Que Horas são?", "Apa"/"Pai", "Ama"/"Mãe".

A nossa atitude e comportamento é espelho da educação que tivemos embora tenhamos a mais perfeita consciência de que o comportamento individual depende  de cada um pois o mesmo pode optar por querer ou não aprender e querer ou não aplicar a educação que teve na pratica.

A Educação não tem língua pré-definida, Quando temos educação não precisamos de saber falar Português.

Concordo, 
A vida é um processo longo de aprendizagem, "Life is a long Learning Process"


Dalia Kiakilir
Oxford, 22 de Agosto de 2014
 Ler em Tetun: Edukasaun laiha dalen predefinida

Sem comentários:

Enviar um comentário